Inflação

22 de Janeiro de 2018

Inflação

O que é a inflação?

A inflação é conhecida como o aumento contínuo e generalizado do nível geral dos preços numa economia, resultando numa perda progressiva do poder de compra da moeda, isto é, sempre que este aumento ocorrer será necessário cada vez mais dinheiro para comprar a mesma quantidade de bens e serviços. 
Os agentes económicos (Famílias, Empresas e Estado) são atingidos, ainda que de forma desigual, sendo que a intensidade do impacto depende do ritmo da inflação, da expectativa dos agentes económicos em relação ao comportamento futuro dos preços e suas respectivas escolhas bem como a existência ou não de um reajuste automático dos rendimentos à inflação.

O que Causa a Inflação?

Existem várias teorias sobre as causas da inflação, estando entre as mais comuns o desencontro entre a oferta e procura por moeda, isto é quando a oferta de moeda é maior que a procura pelos agentes económicos, resultando em perda do seu valor (perda do poder de compra). Esta ideia foi defendida pelo ilustre economista Milton Friedman ao afirmar que a inflação em qualquer lugar é um fenómeno monetário. 


Outra causa da inflação é o aumento dos custos de produção (salários, remuneração, custo da matéria-prima, etc.), fazendo com que os produtores aumentem os preços a fim de compensarem os resultados pela referida perda. As expectativas também podem influenciar o aumento dos preços na economia, isto é, sempre que os agentes económicos acreditarem que os preços dos bens e serviços na economia irão aumentar, tenderão a exigir um aumento real dos seus salários, fazendo com que por sua vez os produtores imputem esse aumento nos preços dos bens e serviços.


Os possíveis efeitos da inflação:

  • Distorção dos preços relativos, levando as pessoas a aplicar os seus recursos de acordo com a sua percepção sobre o impacto do aumento dos preços sobre a oferta do bem ou serviço, que neste caso seria de escassez ou vice-versa;

  • Desincentivo ao investimento. A inflação traz consigo incertezas deixando o investidor inseguro quanto aos preços futuros por se terem tornados imprevisíveis, preferindo não fazer investimentos devido ao clima de insegurança que se criou em torno do retorno do seu investimento;

  • Redistribuição da riqueza. Por exemplo: em clima de inflação elevada, os devedores ganham vantagem sobre os credores, isto porque, de forma geral, o montante é devido na base de um contrato (escrito ou verbal) cuja amortização não sofre alterações até a assinatura de um novo contrato ou data de maturação. Nestes casos, sempre que a taxa de juros acordada não compensar o aumento da inflação, o credor comprará menos bens e serviços que o inicialmente previsto. Outro exemplo: o agente que conseguir mais rapidamente ajustar os seus preços tenderá a ganhar em relação aos que o precederem, por exemplo, o salário do empregado de uma loja não é imediatamente ajustado à inflação, bem como o preço do aluguer da loja (pelo tempo perdido no processo de negociação e renegociação) entretanto, o dono da loja (não do local) pode de imediato actualizar o preço da sua mercadoria;

  • Serve de estímulo às importações e desincentivo às exportações, nos casos em que o aumento da inflação agrava os termos de troca, isto é os produtos nacionais tornam-se mais caros que os produzidos no estrangeiro, afectando negativamente a balança comercial;

  • Perturbação do sistema financeiro face a mudanças na escolha dos agentes económicos que passam a preferir aplicar as suas poupanças na aquisição de bens duradouros (terra, casa) em detrimento das aplicações financeiras;

  • Desperdício de tempo e recursos. Os agentes económicos perdem tempo procurando bens e serviços com menos variação de preços (comparação constante), enfrentam custos adicionais na reprogramação dos caixas com novos preços, reetiquetagem (empresas) dos produtos, entre outros;

Porque é que é importante manter a inflação baixa e estável?

Para reduzir as incertezas na economia e, portanto, proporcionar um ambiente favorável ao crescimento económico e à criação de emprego e, desta forma, melhorar o bem-estar da população.

Como é mensurada a inflação?

A inflação em Angola é medida com base no Índice de Preços no Consumidor (linkar ao menu Estatísticas). Esse indicador é calculado e publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) com uma periodicidade mensal. 
 
 

Apresentação sobre a inflação